Home Blog Page 780

Max Verstappen lidera GP da Estíria e vence segunda corrida consecutiva

0

Líder do Mundial, o holandês Max Verstappen, da Red Bull Racing, liderou a corrida de ponta a ponta e venceu o GP da Estíria, na Áustria, neste domingo, 27. Os dois pilotos da Mercedes, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, completaram o pódio com o segundo e terceiro lugar, respectivamente. Apesar do bom resultado para a equipe alemã, que conquistou a melhor volta após uma troca dos pneus de Hamilton nos segundos finais da corrida, a vantagem da RBR sobre a Mercedes é de 40 pontos (252 a 212). Verstappen, com 156 pontos, continua na liderança do campeonato com uma diferença de 18 pontos para Hamilton, que está com 138. “Conseguimos bons pontos como equipe hoje e temos que continuar pressionando” , afirmou Hamilton. O momento mais emocionante da corrida aconteceu logo na primeira curva, quando o monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, ao tentar ultrapassar Pierre Gasly, da AlphaTauri, atingiu o colega, furando o pneu do piloto francês e danificando a própria asa dianteira. Após um pitstop, o piloto da Ferrari, que estava em sétimo, caiu para a 17º, mas conseguiu recuperar a colocação após escalar metade do grid ao longo do GP.

Na curva seguinte, com problemas na roda, Gasly atingiu Nicholas Latifi, da Williams, e Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo. Por conta dos incidentes e dos danos no carro, a corrida acabou para o piloto da AlphaTauri. Latifi também furou um dos pneus, mas continuou na disputa. Outro problema atingiu a Williams na corrida. Mas dessa vez, com outro piloto. O inglês George Russell, que iniciou a corrida na décima posição, dando chances para a equipe pontuar pela primeira vez na temporada, teve problemas com o carro quando estava em 8º. A Williams, então, parou o piloto para uma troca de pneus e para a correção de uma “unidade de energia do carro”. O pit stop se estendeu por mais 18s3 segundos e o britânico voltou em 18º. O problema, no entanto, não foi resolvido e Russell abandonou a corrida. “Não precisa se desculpar, estamos nisso juntos. Vamos de novo na próxima semana – vamos conseguir esses pontos na próxima semana”, assegurou o atleta à equipe. A disputa pelo terceiro lugar foi acirrada, com Lando Norris, da McLaren, liderando até a volta 10, quando foi ultrapassado pelo mexicano Sergio Perez, da RBR, que, em seguida, perdeu a posição para Bottas. Norris ainda voltou para a terceira colocação rapidamente, mas recebeu uma ultrapassem do finlandês, que garantiu o terceiro lugar para a Mercedes. “De onde comecei acho que P3 foi o máximo hoje. Estou feliz por poder me defender contra Perez. É bom podermos fazer tudo de novo na próxima semana”, disse o piloto.

Gasly suffered a puncture in the opening-lap tangles and limps back to the pits

The AlphaTauri driver is out of the race #StyrianGP #F1 pic.twitter.com/I6ioX5Cvfi

— Formula 1 (@F1) June 27, 2021

LAP 39/71 @GeorgeRussell63 retires after such a promising start to the race

Classy radio from Russell “No need to apologise, we’re in this together. We go again next week – we’ll get those points next week” #StyrianGP #F1 pic.twitter.com/eISyCg0mH6

— Formula 1 (@F1) June 27, 2021

Veja a classificação final do GP da Estíria

Confirmation of an emphatic win for @Max33Verstappen #StyrianGP #F1 pic.twitter.com/9xpbf2iDsK

— Formula 1 (@F1) June 27, 2021

Juventude x Flamengo: assista à transmissão da Jovem Pan ao vivo

0

O jogo entre Juventude e Flamengo, válido pelo Campeonato Brasileiro, acontece nesta domingo, 27. A Jovem Pan apresenta todas as emoções do duelo ao vivo às 11h (de Brasília). Além de transmitir a partida em AM 620, a  JP traz a narração de Fausto Favara, comentários de Mauro Beting e reportagem de Raphael Thebas no Panflix e YouTube.

Assista à transmissão abaixo:  

Copa América e Eurocopa comprovam que futebol e política se misturam

0

De tempos em tempos, o debate sobre como o futebol está ligado às questões sociais e políticas vira tema em programas esportivos e nas rodas de conversa espalhadas pelo Brasil. Alguns entendem que o esporte mais popular do mundo não deveria ser “politizado”, limitando-o a discussões sobre os aspectos táticos, técnicos e outros temas que giram em torno do que acontece dentro das quatro linhas. A Copa América e a Eurocopa 2021, no entanto, estão comprovando que é impossível ignorar a participação da sociedade durante as competições. Mesmo com os dois campeonatos longe do fim, as atuais edições dos torneios sul-americano e europeu já se mostram históricas por abordar assuntos importantes, como o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e o combate à homofobia e ao racismo.

Pandemia

Neymar durante partida entre Brasil e Colômbia pela Copa América 2021

Mesmo antes de a bola rolar, o debate sobre como Conmebol, Uefa, federações e os governos dos países envolvidos se comportariam era abordado. Isso porque a Copa América e a Eurocopa seriam os primeiros grandes eventos continentais de seleções realizados durante a pandemia da Covid-19. Combinadas para acontecer simultaneamente em 2020, ambas foram adiadas em um ano por causa da doença. Neste sentido, devido ao lento ritmo na vacinação contra o novo coronavírus no continente, a competição sul-americana foi a que mais encontrou imprevistos. Marcada para ser sediada conjuntamente por Colômbia e Argentina, a Copa América perdeu um anfitrião após a desistência de autoridades colombianas, na metade de maio, que alegaram não ter condições de receber o evento devido a uma série de protestos sociais — a população ficou revoltada com uma proposta de reforma tributária apresentada pelo presidente Iván Duque. Cerca de dez dias depois, foi a vez do mandatário argentino Alberto Fernández desistir devido ao aumento de infectados no país. Desesperada com a situação, a Conmebol conseguiu um acordo de última hora com a CBF e o governo federal para organizar o torneio em território brasileiro.

A mudança repentina e a escolha do Brasil como sede causaram revolta de boa parte da população brasileira, que sofre com o alto número de casos e mortes provocados pelo coronavírus, além da falta de imunizantes. Nas redes sociais, Conmebol, CBF e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foram extremamente criticados. Entre as seleções participantes, algumas personalidades como os atletas De Arrascaeta e Matías Viña, do Uruguai, e o treinador Lionel Scaloni, da Argentina, reprovaram a decisão. Tite, comandante do Brasil, também se manifestou, dizendo que a competição foi organizada de maneira “atabalhoada”. Ainda assim, após rumores de que os personagens se reuniriam a favor de um boicote — que não se concretizou —, a competição teve o seu pontapé inicial. Até o momento, de acordo com o Ministério da Saúde, 140 casos de Covid-19 ligados ao campeonato foram registrados.

Realizada em 11 sedes espalhadas pelo Velho Continente, a Eurocopa também entrou no centro de uma polêmica após decisões de Viktor Orbán, o primeiro-ministro da Hungria, o único a autorizar a ocupação de 100% dos lugares em um estádio durante o torneio. Mesmo sendo o segundo país do mundo com a maior taxa de óbitos por 100 mil habitantes (mais de 300), só perdendo para o Peru, o país recebeu cerca de 67 mil espectadores na Arena Puskás nos três jogos do Grupo F. A imunização no país, é verdade, está acelerada, com mais de 50% dos habitantes já vacinados com pelo menos a primeira dose. Ainda assim, as imagens do estádio húngaro cheio de torcedores foram bem vistas por parte considerável da imprensa europeia.

Racismo

Arnautovic fez gesto supostamente racista durante Áustria x Macedônia Norte

Outros temas importantes estão sendo abordados durante a Eurocopa. Logo na primeira rodada, a Uefa precisou abrir investigação após a Federação da Macedônia do Norte denunciar um caso de racismo cometido por Marko Arnautovic, da Áustria, em partida válida pelo Grupo C. Ao comemorar o terceiro gol da seleção austríaca, o atacante de origem sérvia proferiu declarações nacionalistas e até fez gestos que remetem à supremacia branca (veja na imagem acima). Os sinais foram direcionados ao lateral macedônio Alioski, que tem raízes albanesas. O Comitê de Ética Disciplinar da Uefa, no entanto, considerou que o atleta não foi racista, aplicando uma punição de apenas um duelo por “ofensa a outro jogador”.

Protestos contra o preconceito racial também marcaram esta edição da Euro. Como tornou-se comum após a morte de George Floyd, homem negro assassinado no ano passado por um policial branco nos Estados Unidos, atletas de várias seleções, como a inglesa, se ajoelharam antes do apito inicial, em solidariedade e apoio às vítimas de racismo. Outras equipes, no entanto, preferiram não aderir ao movimento. A Croácia, por exemplo, foi uma das seleções que se recusaram a endossar a campanha. Em comunicado oficial, a Federação Croata relatou que os jogadores simplesmente optaram por esse caminho porque “ajoelhar-se no gramado não guarda quaisquer laços simbólicos com a luta contra o racismo e a discriminação no contexto da cultura e tradição croatas”. Em alguns jogos, a manifestação também foi vaiada por parte do público.

Homofobia

A Uefa proibiu que a Allianz Arena fosse iluminada com as cores do arco-íris na partida entre Alemanha e Hungria

Na última semana, a pauta social da vez na Eurocopa foi a discriminação contra os homossexuais. Isso porque a Uefa rejeitou o pedido do presidente da Câmara de Munique, Dieter Reiter, de iluminar a Allianz Arena com as cores do arco-íris, que representam o movimento LGBTQIA+, durante a partida entre Alemanha Hungria. A solicitação tinha como objetivo protestar contra uma lei aprovada pelo governo húngaro, que restringe os direitos de informação dos jovens em relação à homossexualidade e à transexualidade. De acordo com a entidade, a proibição deu-se porque, “de acordo com seus estatutos, a Uefa é uma organização politicamente e religiosamente neutra”. Ou seja, não poderia acatar uma solicitação com motivos políticos.

Apesar de não conseguir iluminar o estádio durante a partida, a Alemanha deu um show na luta contra a homofobia. Além de distribuir aos torcedores bandeiras com as cores do arco-íris, o goleiro Neuer voltou a utilizar a sua faixa de capitão colorida, reforçando o seu apoio à causa. Além disso, após o gol de empate dos alemães, que deu a classificação ao time de Joachim Low e eliminou a Hungria, o meio-campista Leon Goretkza — que tem histórico de ativismo contra o movimento neonazista alemão — comemorou em frente aos torcedores húngaros, fazendo um gesto de coração com as mãos. Vale lembrar que ultras da Hungria estão sendo investigados pela Uefa por exibir um cartaz com uma mensagem “anti-LGBT” na partida de estreia, diante de Portugal.

Voto impresso não contribui para a democracia, diz ministro Alexandre de Moraes

0

Próximo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Alexandre de Moraes criticou o projeto, em debate no Congresso Nacional, de implementação do voto impresso. “Não contribui para a democracia”, afirmou. Segundo Alexandre, a “maioria massacrante” dos brasileiros acredita nas urnas eletrônicas e apenas uma minoria coloca em dúvida a legitimidade da votação eletrônica, “sem apresentar até agora uma única prova de fraude”. As afirmações foram feitas ao podcast ‘Supremo na Semana’, que é editado pela Corte. O terceiro episódio da produção foi publicado neste sábado, 26, sendo que, na edição, Alexandre ponderou que a discussão sobre o voto impresso é válida para que a corte eleitoral “possa reafirmar a total legitimidade, transparência e confiabilidade do voto eletrônico”.

“Não há nenhum problema em se abrir todas portas do TSE para se verificar que nunca houve e dificilmente haverá problema com o voto eletrônico, porque é controlado do início ao fim. Eventualmente se houver necessidade de alterações para uma maior fiscalização a Justiça Eleitoral está aberta. Estamos discutindo não só no TSE, mas no STF também, mas se você me perguntar é necessário hoje para aprimorar a democracia o voto impresso, não é”, destacou o ministro. As declarações de Alexandre foram ao ar no mesmo dia em que presidentes de 11 partidos fecharam um posicionamento contra o voto impresso nas eleições de 2022.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Ivan Perisic testa positivo para Covid-19 e vira desfalque para a Croácia na Eurocopa

0

A Eurocopa 2020 registrou o terceiro caso de Covid-19 entre jogadores. Após os dois positivos na seleção da Eslováquia, a Federação Croata de Futebol informou na noite deste sábado, 26, que o meia Ivan Perisic testou positivo para a doença e estará fora do confronto contra a Espanha, na segunda-feira, 28, às 13h (horário de Brasília) pelas oitavas de final do torneio. Segundo a nota da seleção, Ivan foi isolado dos demais companheiros de equipe e as autoridades sanitárias foram informadas sobre o ocorrido. “Perišić passará 10 dias em isolamento e durante esse período não participará nos jogos da seleção croata”, diz a nota. Caso a Croácia avance, o atleta da Inter de Milão perderá o restante da competição. A Croácia afirmou que todos os outros jogadores, funcionários e membros da delegação deram resultados negativos para o coronavírus. A seleção viaja neste domingo, 28, para Copenhague, na Dinamarca, onde será a partida decisiva.

São Paulo informa que Hernán Crespo testou positivo para a Covid-19

0

O treinador do São Paulo, Hernán Crespo, testou positivo para a Covid-19 neste sábado, 26. A informação foi dada pelo clube em suas redes sociais durante a noite. “O técnico Hernán Crespo testou positivo para Covid-19. Ele já se encontra em isolamento e assistido pelo departamento médico do clube. Durante seu afastamento, o time será comandado pelo auxiliar Juan Branda“, escreveram. No início do mês, Crespo ficou afastado por alguns dias do comando da equipe por apresentar um quadro gripal. Na ocasião ele se submeteu a testes, mas deram negativo. O time está em Fortaleza, no Ceará, para enfrentar o Ceará neste domingo, às 20h30 (horário de Brasília), pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor Paulista está na zona de rebaixamento, com apenas três pontos conquistados em seis jogos (três derrotas e três empates).

Pabllo Vittar participa do quadro ‘Visitando o Passado’, do Caldeirão, e aparece desmontada

0

A cantora Pabllo Vittar participou do quadro ‘Visitando o Passado’, do Caldeirão do Huck, onde o programa recria a casa de artistas durante sua infância. A drag queen apareceu desmontada na gravação e se emocionou bastante com a homenagem. O cenário montado nos Estúdios Globo recriou a casa da cantora em Santa Cruz do Pará, onde ela morou por dez anos durante a adolescência. “É muito engraçado estar aqui desmontada, parece que tô pelada”, disse Pabllo. “Eu me sinto à vontade, mas sei lá. É esquisito”. Pabllo morou com a mãe Verônica Rodrigues e as duas irmãs, Phâmela e Polyanna. A mãe, inclusive, contou no programa como descobriu sobre a sexualidade do filho.

“Ser mãe é uma palavra muito doce. Você vai cuidando e conhecendo o seu filho, a partir do momento que você pega ele criancinha você vai entendendo o seu filho. A Polyanna [que é homossexual] nunca gostou de usar vestido, eu comecei a suspeitar e fui levando tranquilo. Com o Pabllo, com três anos eu vi ele trocando a roupa com a da irmã e percebi”, confessou a mãe. Dona Verônica também comentou sobre o preconceito contra pessoas LGBTQIA+, como seus filhos.

“Isso [o preconceito] já existe desde que o mundo é mundo, mas era muito escondido. Hoje em dia, graças a Deus, as pessoas assumem o que querem ser, mas infelizmente ainda existe preconceito. Que bom que tem pessoas como a Pabllo e pessoas que incentivam os outros a serem quem são. A pessoa tem que amar o seu semelhante do jeito que ele é”, completou a mãe.

SÓ CONSIGO CHORAR #PablloVittarNoCaldeirão pic.twitter.com/VbZNv6PXGy

— TV Globo em (@tvglobo) June 26, 2021

Miley Cyrus lamenta assassinato de fã brasileiro: ‘Estou devastada’

0

Miley Cyrus foi  às redes sociais neste sábado, 26, para falar sobre o assassinato de um fã brasileiro, Gabriel Carvalho Garcia. O jovem de 22 anos foi morto a tiros em uma barbearia em Embu das Artes, na Grande São Paulo, na última terça-feira, 22. A família suspeita que a motivação do crime tenha sido homofobia. “Estou devastada em saber que um smiler perdeu a vida brutalmente por conta do ódio, do preconceito e da injustiça! Chamar esse caso perturbador de homofobia significaria que o assassino tinha ‘medo’ de pessoas queer. Isso é a porr* de uma mentira. O coração desse ser humano era cheio de ódio e raiva”, escreveu Miley Cyrus em sua conta do Twitter. Não podemos continuar permitindo que esses eventos sejam considerados simplesmente ‘homofobia’. Porque você sabe quem estava ‘assustado’ nessa situação? Gabriel”, completou. A cantora lembrou que lutar contra esse tipo de caso é uma de suas prioridades e o propósito de sua existência. “Eu não poderia imaginar se isso acontecesse com um dos meus melhores amigos. E saber que isso aconteceu com uma pessoa que me amava e eu amei de volta parte meu coração”, completou. 

I am devastated to find out a smiler has brutally lost their life due to hate, judgment, and injustice! To call this disturbing action “homophobia” would mean that the attacker had a “fear of” queer people. Which is fucking bullshit. This humans heart was full of HATE and ANGER. https://t.co/8mrIe2UtOx

— Miley Ray Cyrus (@MileyCyrus) June 26, 2021

 

Eurocopa: Na prorrogação, Itália faz 2 a 1 na Áustria e se classifica às quartas de final

0

O jogo entre Itália e Áustria, pelas oitavas de final da Eurocopa 2020, foi um dos mais disputados e difíceis para sair um gol. Na primeira etapa a Itália dominou a partida. Aos 16 minutos, Barella finalizou no meio e o goleiro Bachmann fez boa defesa com o pé. Aos 31, Immobile acertou a trave em chute de fora da área e aos 43 minutos, a Azzurra ainda chegou em lance de escanteio. Os austríacos apareceram pouco no ataque, mas na segunda etapa o roteiro foi diferente. A Áustria voltou melhor e assustou em lance de falta com Alaba, antes dos cinco minutos. Aos 19, Arnautovic marcou de cabeça depois de ajeitada de Alaba, mas o VAR anulou o gol por impedimento do atacante. A Itália melhorou com as substituições de Mancini, mas não conseguiu marcar.

Com o 0 a 0, a partida foi para a prorrogação. A Itália se manteve em cima e aos cinco minutos, Chiesa driblou a zaga austríaca e abriu o placar. Aos 14, Insigne cobrou falta e obrigou o goleiro Bachmann a se esticar e jogar a bola para a linha de fundo. No lance seguinte, Pessina chutou cruzado e ampliou em 2 a 0. Aos oito do segundo tempo, a Áustria diminuiu com Kalajdzic em cobrança de escanteio. Mesmo assim, a Itália se classificou e espera o ganhador de Bélgica e Portugal, que se enfrentam neste domingo, às 16h (horário de Brasília).

Zagueiro Léo Ortiz, do RB Bragantino, é convocado por Tite para a Copa América

0

O zagueiro Léo Ortiz, do Red Bull Bragantino, foi convocado pelo técnico Tite para defender a seleção brasileira durante a Copa América. O anúncio foi feito neste sábado, 26, após a confirmação de lesão no joelho direito de Felipe, do Atlético de Madrid, que foi desconvocado. Felipe teve uma entorse no dia 16 de junho e exames de imagem mostraram uma lesão parcial do ligamento colateral externo. O atleta ainda realizou tratamento nos últimos dias, mas uma nova ressonância apontou que ele não teria condições de entrar em campo durante o torneio, que termina em 10 de julho. Léo se juntará aos outros atletas da seleção na próxima terça-feira, 29, após o término da fase de grupos. O Brasil é líder do Grupo B com nove pontos em três jogos. Neste domingo a equipe encerra a primeira fase contra o Equador, às 18h (horário de Brasília).