Home Blog

Atirador mata 8 em universidade na Rússia e é preso

0

Vídeo divulgado nas redes sociais mostra um estudante vestido de preto caminhando na direção da entrada de prédio e atirando. Outras imagens mostram estudantes pulando pelas janelas. Atirador deixa mortos e feridos em campus universitário na Rússia
Ao menos oito pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta segunda-feira (20) em um campus universitário de Perm, na Rússia, após um estudante atirar nas pessoas. Ele foi preso.
“Um estudante que estava em um dos edifícios da universidade abriu fogo contra as pessoas ao seu redor”, informou o Comitê de Investigação Russo, responsável pelas investigações mais importantes do país.
“Em consequência, oito pessoas morreram e várias ficaram feridas”, anunciou o comitê, que também disse que o atirador “ficou ferido durante a detenção, ao opor resistência”. Não há detalhes sobre o seu estado de saúde.
O ataque ocorreu por volta das 11h (horário local, 3h em Brasília). Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra um indivíduo vestido de preto caminhando na direção da entrada do prédio e atirando.
Outras imagens mostram estudantes fugindo dos tiros e pulando pelas janelas do primeiro andar de um prédio do campus, que fica na região dos Urais.
Atirador deixa mortos e feridos em universidade na Rússia
Outros ataques
Os ataques a tiros em escolas ou universidades eram raros na Rússia, mas se tornaram mais frequentes nos últimos anos.
O país tem uma legislação rigorosa de controle de armas — e tornou-a ainda mais rigorosa devido a esses ataques.
O presidente russo, Vladimir Putin, afirma que os incidentes são um fenômeno importado dos Estados Unidos e um efeito perverso da globalização.
No o último ataque, em 11 de maio, um jovem de 19 anos abriu fogo contra uma escola de Kazan, no sudoeste do país, e matou nove pessoas.
No mesmo dia, Putin ordenou uma revisão das normas sobre o porte de armas, pois o atirador tinha permissão para o uso de uma arma semiautomática.
Em outubro de 2018, um estudante matou 19 pessoas antes de cometer suicídio em um instituto de Kerch, uma cidade da península da Crimeia, na Ucrânia, que a Rússia invadiu e ocupou em 2014.
Tentativas frustradas
Autoridades russas dizem ter desmantelado dezenas de planos de ataques contra centros de ensino nos últimos anos, normalmente planejados por adolescentes.
Em fevereiro de 2020, as forças de segurança prenderam dois jovens de nacionalidade russa, na época com 15 anos, que eram muito ativos em fóruns virtuais com a apologia do assassinato e do suicídio.
De acordo com os investigadores, eles planejavam atacar um centro de ensino em Saratov, às margens do rio Volga, no sudoeste do país.
VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Gabby Petito: corpo é achado nos EUA durante buscas pela influenciadora desaparecida

0

Jovem americana de 22 anos desapareceu enquanto fazia viagem de carro com o noivo pelo país. A influenciadora Gabby Petito, cujo corpo foi encontrado nos Estados Unidos em um parque em Wyoming
Reprodução/Redes sociais
Um corpo que corresponde à descrição da jovem Gabrielle “Gabby” Petito, de 22 anos, foi encontrado em um parque nacional em Wyoming, nos Estados Unidos, onde a influenciadora digital estava sendo procurada, anunciou o FBI no domingo (19).
O desaparecimento de Gabby Petito, que viajava de carro com o noivo, comoveu o país. Autoridades haviam iniciado uma ampla operação de busca para encontrar a jovem, desaparecida desde o dia 11.
Seus pais tiveram contato com a jovem pela última vez quando ela estava na área do Parque Nacional Grand Teton, no estado de Wyoming, onde o corpo foi encontrado.
“Hoje bem cedo foram encontrados restos humanos que coincidem com a descrição de Gabrielle ‘Gabby’ Petito”, relatou o agente do FBI Charles Jones em entrevista coletiva. “Gostaria de expressar minhas mais sinceras e profundas condolências à família de Gabby”.
Gabby Petito, em imagem de 2019 publicada em seu perfil em uma rede social
Reprodução/Instagram
Gabby Petito deixou o emprego em julho para viajar pelos Estados Unidos em uma van com o namorado, Brian Laundrie, de 23 anos. Ela documentava a viagem pelo Instagram.
Laundrie voltou sozinho para casa em North Port, no estado da Flórida, há mais de duas semanas, com a van de Gabby. Ele foi declarado “pessoa de interesse” pelos investigadores e desapareceu.
Os pais de Laundrie não o veem desde terça-feira (14), segundo a polícia de North Port, que agora trabalha em um caso de “desaparecimento múltiplo”.
VEJA TAMBÉM:
Gabby Petito: O misterioso sumiço de jovem que viajava pelos EUA com noivo em uma van
Brian Laundrie e Gabby Petito
Reprodução/Redes sociais
VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Auxílio emergencial é pago a beneficiários do Bolsa Família com NIS 2

0

A Caixa Econômica Federal faz hoje (20) o pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família com final 2 do Número de Inscrição Social (NIS). O recebimento do auxílio é realizado da mesma forma e nas mesmas datas do benefício regular do programa social.

Para quem recebe por meio da Poupança Social Digital, os recursos podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem. Com ele é possível pagar contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral pelo próprio aplicativo ou nas lotéricas, fazer compras pela internet e pelas maquininhas em diversos estabelecimentos comerciais, com o cartão de débito virtual e QR Code.

O dinheiro ainda podem ser sacado com o Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão nas agências da Caixa, lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

Amanhã (21), a Caixa inicia o pagamento do ciclo 6 do auxílio emergencial para os trabalhadores informais e os inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), que não fazem parte do Bolsa Família.

Calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família – Divulgação/Caixa

Regras

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante sete meses, tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não houve nova fase de inscrições.

Para quem recebe o Bolsa Família, vale a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício. A Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o pagamento do auxílio em 2021.

* Colaborou Wellton Máximo

Coreia do Sul multa Google em quase US$ 180 milhões por impedir uso de Android modificado

0

Comissão de Concorrência do país apontou que empresa impediu a Samsung e outras fabricantes de desenvolver ou usar versões alternativas do sistema operacional para telefones. Gigante americana deve recorrer. Página do Google em celular
Alastair Pike/AFP
A autoridade responsável pela concorrência na Coreia do Sul multou, nesta terça-feira (14), o Google em quase US$ 180 milhões (R$ 940 milhões, na cotação atual) por abusar de uma posição dominante no mercado de aplicativos móveis e sistemas operacionais.
A Comissão de Concorrência da Coreia (KFTC) investiga desde 2016 o Google, acusado de ter impedido fabricantes locais de smartphones, incluindo a Samsung, de desenvolver o sistema operacional Android.
LEIA MAIS:
Coreia do Sul deve exigir que Google e Apple liberem meios alternativos de pagamentos para apps
Herdeiro da Samsung sai da prisão em liberdade condicional
Ela determinou que o Google tem dificultado a competição no mercado em virtude de um acordo que impede os fabricantes de smartphones de instalar versões modificadas do Android em seus aparelhos, conhecidos como “forks”.
“Por causa disso, os fabricantes de smartphones não puderam lançar produtos inovadores com novos serviços”, estimou a KFTC em um comunicado.
“Como resultado, o Google conseguiu fortalecer sua posição dominante no mercado de sistemas operacionais móveis”.
O órgão, portanto, condenou o gigante americano a uma multa de US$ 176,8 milhões (R$ 922 milhões) e ordenou medidas corretivas.
Segundo o Google, a decisão “vai prejudicar os benefícios desfrutados pelos consumidores”. A empresa planeja apelar da decisão, de acordo com a agência de notícias Yonhap.
Embate sobre loja de aplicativos
O anúncio da multa acontece duas semanas depois de Seul aprovar uma lei proibindo a Apple e o Google de forçar os desenvolvedores de aplicativos a usar seus sistemas de pagamento, declarando ilegais seus lucrativos monopólios na App Store e Play Store.
Os dois gigantes americanos estão sob pressão e são alvos de críticas, em especial por cobrarem até 30% de comissão sobre a venda de aplicativos.
O texto sul-coreano – conhecido localmente como “lei anti-Google” – dará aos usuários a opção de escolher um sistema de pagamento na compra dos aplicativos.
A Apple e o Google acreditam que as taxas cobradas são justificadas, dizendo que permitem compras seguras e permitem que os desenvolvedores de aplicativos alcancem usuários no mundo inteiro.
Na semana passada, uma juíza dos Estados Unidos ordenou que o fabricante do iPhone não pode obrigar mais os editores a usar seu sistema de pagamento para seus aplicativos no âmbito de um litígio com a Epic Games, desenvolvedora de videogames.
Google e Apple dominam o mercado de aplicativos online na Coreia do Sul, a 12ª maior economia do mundo e líder em novas tecnologias.
Por sua vez, o Google sustentou que as comissões cobradas pela Play Store eram a norma neste setor, alegando que compensavam o custo de criação de plataformas seguras para que as editoras tivessem acesso a usuários em todo o mundo.
A Play Store registrou receita de quase 6 trilhões de won (US$ 4,3 bilhões ou R$ 22,4 bilhões) em 2019, ou 63% do mercado sul-coreano, de acordo com dados do Ministério da Ciência de Seul.

A inusitada advertência da Apple sobre risco ao iPhone com vibrações de motos

0

Motores de alta potência podem danificar sistema de câmeras, alerta empresa. Problema são as vibrações intensas de alta amplitude geradas pelos motores potentes
Getty Images via BBC
A Apple emitiu aviso aos usuários de iPhone alertando que motocicletas com motores potentes podem danificar o sistema de câmeras dos telefones da marca.
As vibrações do motor podem prejudicar o estabilizador de imagem (OIS na sigla em inglês, de “optical-image stabilisation”) e o foco automático (“closed-loop autofocus”), disse a empresa em comunicado.
Diversos modelos seriam suscetíveis aos danos.
LEIA MAIS:
Novos iPhones, relógios e mais: o que esperar do evento da Apple
Apple libera correção para brecha de segurança usada por software de espionagem Pegasus
Assim, a recomendação é que o aparelho não seja afixado em motocicletas potentes – muitas vezes o telefone é colocado em um suporte conectado ao guidão do veículo para que o motorista acesse aplicativos de navegação durante seu trajeto.
Em motocicletas com motores menos potentes, como scooters, a Apple aconselha que os usuários utilizem acessórios para telefone que amortecem vibrações.
A empresa explicou que motores de alta potência geram “vibrações intensas de alta amplitude” que se propagam pelo quadro e pelo guidão do veículo e podem danificar sistemas que são projetados para melhorar a qualidade da imagem, neutralizando movimento, vibrações e os efeitos da gravidade.
“A exposição direta a vibrações de alta amplitude dentro de certas faixas de frequência pode deteriorar o desempenho desses sistemas e levar à redução da qualidade de imagem de fotos e vídeos”, diz o texto.
Nas redes sociais, vários donos de motos disseram que seus iPhones foram danificados após serem presos no suporte na estrutura dos veículos.
Veja como evitar o golpe da maquininha quebrada:
Fantástico mostra como se proteger de golpe que explodiu com a pandemia

Após Anatel adiar análise de edital, ministro volta a prometer 5G nas capitais até julho de 2022

0

Votação do edital do 5G pela agência, prevista para segunda (13), foi suspensa após pedido de vista. Relator disse que adiamento pode comprometer cronograma de investimento. O ministro das Comunicações, Fábio Faria, voltou a prometer internet móvel de quinta geração em todas as capitais do país até julho de 2022, apesar do adiamento da votação da versão final do edital do leilão do 5G pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).
A votação estava prevista para segunda-feira (13), mas foi adiada devido a um pedido de vista (mais tempo para a análise) do conselheiro Moisés Queiroz Moreira.
Ele afirmou que não houve tempo hábil para que a agência pudesse se debruçar sobre todas as recomendações e determinações de mudanças no edital feitas pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
“O 5G chegará a todas as capitais até julho de 2022, chegando progressivamente a todos os municípios”, afirmou Faria nesta terça-feira (14), em evento promovido pela Conexis, representante das empresas de telefonia.
Moreira prometeu levar o voto para discussão no conselho “o mais breve possível”, mas não há data para que isso aconteça.
O processo voltará para a pauta da Anatel na reunião ordinária marcada para 30 de setembro. O conselheiro revisor, contudo, pode antecipar ou, na sessão, pedir um novo adiamento da data.
Por isso, o relator do processo, conselheiro Emmanuel Campelo, admitiu que a meta de levar 5G para todas as capitais do país até julho de 2022 pode ficar comprometida.
Essa meta consta na minuta de edital e tem sido uma das principais bandeiras do ministro Fábio Faria, que pressionou o TCU e pressiona a Anatel a aprovar rapidamente o edital, a fim de conseguir cumprir o prazo.
“Vai depender muito de quando será finalizada a deliberação da agência, se será possível ou não atender àquela data de 31 de julho que nós colocamos. Mas de alguma forma prejudica o cronograma sim”, afirmou o relator Emmanoel Campelo, na segunda.
“No momento em que nós temos um atraso mais acentuado, essas datas acabarão tendo que mudar. Vai depender muito de quando finalizará a deliberação por parte do conselho”, explicou Campelo. “De fato, hoje, não temos como fazer uma afirmação se atrasa a data ou não”, completou o relator.
O futuro da internet no Brasil: veja o que esperar do 5G
Críticas
Na segunda-feira, após saber do adiamento da votação na Anatel, Faria criticou o conselheiro Moisés, autor do pedido de vista.
“Um pedido de vista desses representa em torno de R$ 100 milhões [de investimentos perdidos] por dia. O conselheiro sabe da importância disso para o país. Já entramos em contato com ele. Estamos aguardando as perguntas, os questionamentos, que poderiam ter sido feito antes da votação e nós já teríamos respondido”, afirmou Faria.
“Eu peço e clamo, um apelo que eu faço ao relator que envie o mais rápido possível [os questionamentos] para que a gente responda o mais rápido possível, para que a gente possa ter logo a votação do edital do 5G”, completou o ministro. Ele afirmou, ainda, que não terá na “conta” dele nenhum dia de atraso da regulamentação do 5G.
Para Faria, se a votação pela Anatel ocorrer em até dez dias, haverá tempo para realizar o leilão em outubro e cumprir as demais metas previstas na versão inicial do edital. O presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, disse que o prazo mais otimista para realização do leilão é a primeira quinzena de novembro.
VÍDEOS: notícias sobre tecnologia

iPhone 13 é lançado em quatro modelos; veja preços no Brasil

0

Celulares estão com visual similar a de anos anteriores, mas fabricante incluiu melhorias nas câmeras. Empresa também mostrou novos iPads e Apple Watch. Veja todos os detalhes. Apple apresenta o iPhone 13 e novos modelos de tablet e relógio
A Apple anunciou em um evento on-line nesta terça-feira (14) sua nova linha de celulares, com quatro modelos: iPhone 13, iPhone 13 mini, iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max. A companhia também mostrou novos iPads e um novo Apple Watch e o Apple Fitness+, serviço de aulas online por assinatura (veja os detalhes de cada um mais abaixo).
Veja como foi a apresentação
Relembre as novidades do iOS 15, sistema do iPhone
O iPhone 13 ainda não tem data para chegar ao Brasil, mas os preços já foram divulgados:
Preços do iPhone 13 no Brasil
Os lançamentos sucedem a linha do iPhone 12, apresentada no ano passado. Com isso, como tradicionalmente acontece, os preços do antecessor baixaram.
Assim como os telefones de 2020, os aparelhos não virão com o carregador de parede e o fone de ouvido na caixa – o cabo USB é o único acessório incluso. No Brasil, o carregador custa R$ 199 na loja oficial, enquanto os fones de ouvido com fio saem por R$ 219.
O processador dos novos iPhones agora é um A15 Bionic, que a Apple disse ser 50% mais rápido do que a competição – no entanto, a marca não detalhou com quem está comparando. Também há mudanças no conjunto de câmeras e a marca prometeu mais tempo de duração da bateria.
Infográfico mostra as características da linha de iPhone 13
Fernanda Garrafiel/Arte G1
Conheça os detalhes de cada um:
iPhone 13 e iPhone 13 mini
Os novos iPhones estão muito parecidos com seus antecessores no visual – a mudança mais perceptível é que o conjunto de câmeras está na diagonal, em vez de uma abaixo da outra, como era no iPhone 12. Outra pequena alteração está no entalhe, espaço que abriga a câmera frontal, que ficou ligeiramente menor.
As novidades se concentraram no que está “debaixo do capô”. A tela do iPhone 13 continua com 6,1 polegadas mas está 28% mais brilhante, por exemplo.
O iPhone 13 mini conta com as mesmas características do seu “irmão” maior – o que muda é o tamanho da tela, que tem 5,1 polegadas.
iPhone 13
Reprodução/YouTube
Câmeras
A fabricante prometeu fotos melhores, principalmente aquelas capturadas em ambientes escuros. Isso porque o sensor principal do iPhone 13 e 13 mini é capaz de captar 47% mais luz, segundo a Apple.
O sensor secundário, que tira fotos com ângulo mais aberto, está mais veloz – isso deve evitar fotos tremidas e a possibilidade de fotografar objetos que se movem rapidamente, por exemplo.
Câmera traseira do iPhone 13
Reprodução/YouTube
Outra adição foi o “modo cinemático”, uma opção especial para gravar vídeos que vai permitir transições de foco automáticas e “inteligentes” quando uma pessoa entrar em cena ou se afastar da câmera, por exemplo.
Bateria
Mesmo com um processador mais poderoso, tela mais brilhante e compatibilidade com a conexão 5G (que está presente desde o iPhone 12), a fabricante disse que os aparelhos terão mais autonomia de bateria.
A promessa é que o celular fique ligado por uma hora e meia a mais no iPhone 13 mini do que no seu antecessor. O ganho no iPhone 13 seria de duas horas e meia em relação ao iPhone 12.
Armazenamento
Vai ser possível guardar mais fotos, vídeos e aplicativos no iPhone 13 “mais barato”, que parte de R$ 6.599. A versão padrão do celular agora conta com 128 GB de armazenamento – antes, começava em 64 GB. As pessoas ainda poderão escolher entre modelos com 256 GB e 512 GB.
Veja as diferenças visuais entre o iPhone 12 e o iPhone 13:
iPhone 12 e iPhone 13 têm visual bem similar; principal mudança está na disposição das câmeras
Divulgação
iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max
iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max
Reprodução/YouTube
As versões mais sofisticadas do iPhone 13 também não mudaram muito visualmente – o tamanho da tela, por exemplo, continua o mesmo: 6,1 polegadas para o iPhone 13 Pro e 6,4 polegadas para o iPhone 13 Pro Max.
Câmeras
A grande novidade está no conjunto de câmeras. Segundo a Apple, esse é um “conjunto totalmente novo” de sensores. Os modelos possuem 3 câmeras – e todas elas agora possuem o “modo noturno”, para fotos em baixa luz.
O sensor ultrawide ganhou a capacidade de fazer fotos macro, daquelas que chegam bem pertinho de um objeto, a uma distância mínima de 2cm.
O sensor telefoto faz imagens com zoom óptico de 3x. Já a câmera principal está 2,2 vezes mais eficiente em ambientes escuros, segundo a fabricante.
iPhone 13 Pro
Reprodução/YouTube
Essas melhorias nos sensores vão permitir que o iPhone 13 Pro e o iPhone 13 Pro Max sejam mais capazes na gravação de vídeos, chegando a filmar na resolução 4K a 30 quadros por segundo.
A Apple disse que o “modo cinemático” vai permitir a alteração do foco de uma cena mesmo após a gravação, por exemplo.
Tela mais ‘esperta’
Outra grande novidade dos modelos “Pro” é a taxa de atualização da tela que se adapta ao conteúdo, indo de 10 Hz a 120 Hz. Na prática, isso deve mostrar imagens mais fluidas, especialmente em vídeos e jogos. Quando a taxa de atualização estiver menor, o gasto da bateria será reduzido.
Bateria
A empresa também prometeu mais duração da bateria, com hora e meia mais no iPhone 13 Pro do que no seu antecessor, e duas horas e meia a mais no iPhone 13 Pro Max em relação ao iPhone 12 Pro Max.
Armazenamento
Pela primeira vez, esses modelos de iPhone terão uma opção de 1 TB de armazenamento – essa é a versão mais cara da linha e será vendida no Brasil por R$ 15.499. Há ainda opções de 128 GB, 256 GB e 512 GB.
Apple Watch Series 7
O relógio inteligente da Apple chegou a sua 7ª geração, com uma tela maior, mais brilhante, mais resistente e bordas menores. Segundo a companhia, o tamanho da caixa “praticamente” não mudou.
Apple Watch Series 7
Reprodução/YouTube
A Apple disse que essas mudanças permitiram mostrar 50% mais texto na tela em relação ao modelo anterior.
A autonomia da bateria também melhorou, com promessa de 18 horas de duração e carregamento rápido via USB-C – são necessários 45 minutos para ir de 0% para 80%.
Apple Watch Series 7
Reprodução/YouTube
O preço do Apple Watch Series 7 começa em US$ 399 (R$ 2.090), nos EUA. Ainda não há informações de preço no Brasil.
Apple Fitness+ no Brasil
O Apple Fitness+, um serviço por assinatura que exibe aulas em vídeo de diversas modalidades esportivas deve chegar ao Brasil até o final desse ano.
A empresa explicou que o conteúdo terá áudio em inglês com legendas em português.
Novos iPads
Foram apresentadas ainda novas gerações do iPad tradicional e do iPad mini– a companhia tem outros modelos, como o iPad Pro e Air, que ficaram de fora neste evento.
iPad tradicional ganha nona geração. Apple também tem novidades no iPad Mini (à dir)
Divulgação
O novo iPad tradicional conta com um processador A13 Bionic, 20% mais veloz do que o seu antecessor, segundo a fabricante. Esse chip é o mesmo utilizado na linha do iPhone 11, lançado em 2019.
O visual não mudou, mas o tablet agora tem uma câmera frontal de 12 megapixels e compatibilidade com diversos acessórios via porta Lightning – como teclado e a 1ª geração da Apple Pencil, a caneta da companhia.
O modelo será vendido no Brasil por a partir de R$ 3.999 – ainda não há informações sobre a data de disponibilidade.
iPad mini (2021)
Reprodução/YouTube
Já o iPad mini, com tela de 8,3 polegadas, ganhou mais novidades. No visual, as bordas da parte frontal diminuíram e os cantos ficaram mais arredondados.
Outra mudança importante é a entrada do tablet: agora, a conexão será feita via USB-C, o que amplia a gama de acessórios compatíveis. O botão liga/desliga, que fica na lateral, tem o recurso TouchID, que faz a leitura de impressão digital – não há opção do FaceID, que faz reconhecimento facial.
A versão do iPad mini com conexão móvel terá suporte ao 5G e é compatível com a 2ª geração do Apple Pencil. Segundo a Apple, seu processador é 40% mais potente do que o seu antecessor.
O iPad mini será vendido no Brasil por a partir de R$ 6.199 – ainda não há informações sobre a data de disponibilidade.
5 dicas para aproveitar a câmera de selfies do seu celular

Apple apresenta o iPhone 13 em 4 modelos, novos iPads e relógio

0

Apple apresenta o iPhone 13 em 4 modelos, novos iPads e relógio A Apple apresentou novas versões de seus principais produtos nesta terça. O principal anúncio foi o iPhone 13, que tem um visual parecido com versões anteriores. São 4 versões do smartphone: convencional, mini, Pro e Pro Max; confira preços. A grande novidade das versões mais sofisticadas é a tela, que deve mostrar imagens mais fluidas. Veja detalhes. Além do iPhone 13, foram revelados novos modelos do iPad e do Apple Watch

Apple reduz preços de iPhones antigos após lançar iPhone 13

0

Descontos chegam a 18% e variam de acordo com o espaço de armazenamento de celular. Site da fabricante deixou de oferecer iPhone 12 Pro e 12 Pro Max, bem como versões anteriores do iPad. Tim Cook, CEO da Apple, em evento do iPhone 12
Brooks Kraft/Apple Inc./Handout via Reuters
Com o lançamento das quatro versões do iPhone 13 nesta terça-feira (15), a Apple baixou os preços dos modelos de gerações anteriores. Os descontos no iPhone 11 e iPhone 12 variam de acordo com o espaço de armazenamento escolhido.
iPhone 13 é lançado em quatro modelos; veja preços no Brasil
Veja como foi a apresentação
A redução no preço nas três versões do iPhone 12 é de R$ 1.500. Os iPhones 12 mini ficaram R$ 1.300 mais baratos, enquanto, no iPhone 11, o desconto é de R$ 700.
Novos preços dos iPhones 11 e 12
As comparações foram feitas entre o que era exibido no site da Apple na segunda-feira (13) e o que passou a ser anunciado pela empresa após o lançamento do iPhone 13.
O iPhone 12 Pro e 12 Pro Max, que eram vendidos por a partir de R$ 9.999 e R$ 10.999, não estão mais disponíveis no site da fabricante.
Relembre as novidades do iOS 15, sistema do iPhone
O mesmo vale para os novos iPad e iPad mini, que estão disponíveis apenas na nova versão. As gerações anteriores, que eram vendidas até segunda-feira, não podem ser compradas pelo site da Apple.
Preços do iPhone 13
A Apple já divulgou os preços dos modelos do iPhone 13 no Brasil. O mais barato da linha é o iPhone 13 mini de 128 GB, que será comercializado por R$ 6.599.
Por outro lado, o iPhone 13 Pro Max, celular mais avançado da empresa, será vendido por até R$ 15.499 na versão com 1 TB de armazenamento.
A fabricante também divulgou os preços dos novos modelos do iPad. Eles serão comercializados no Brasil por a partir de R$ 3.999.
Confira todos os preços no Brasil do iPhone 13 e dos novos iPad
Apple apresenta o iPhone 13; veja novidades

SpaceX encerrará missão histórica do turismo espacial neste sábado

0

Primeira tripulação só de civis a orbitar a Terra deve chegar às 20h06, e o G1 transmite o pouso. Empresa de Elon Musk toma a dianteira da ‘corrida’ dos bilionários que exploram esse segmento. Tripulantes da SpaceX
SpaceX/Handout via REUTERS
Quando a SpaceX concluir a missão espacial de 3 dias orbitando a Terra, neste sábado (18), terá feito história. E Elon Musk, dono da empresa, tomará a dianteira da “corrida” dos bilionários que exploram esse segmento.
O pouso da cápsula com os 4 tripulantes está previsto para as 20h06 (horário de Brasília), e o G1 vai transmitir.
VÍDEOS: lançamento, pouso do foguete, tripulação no espaço
FOTOS: o balé do foguete no céu e a vista para a Terra
A Dragon chegará ao Oceano Atlântico, na costa da Flórida, amparada por paraquedas. Antes disso, a cápsula, que está dando voltas na Terra numa velocidade 22 vezes maior que a do som, vai primeiro se livrar do “porta-malas”, como mostra a animação abaixo. Depois, ela gira 180 graus para se dirigir à rota de descida.
Veja como será o pouso da SpaceX
A viagem Inspiration4 é um marco no turismo espacial por ao menos dois motivos:
tem a primeira tripulação só de civis a alcançar a órbita da Terra – não há nenhum astronauta profissional a bordo;
são os humanos que chegaram mais longe desde o programa Apollo, da Nasa, que levou o homem à Lua e foi encerrado nos anos 70.
Não à toa, Elon Musk, que não faz parte da tripulação, foi cumprimentado por seus “rivais”.
Richard Branson, da Virgin Galactic, que pode ser chamado de pioneiro do turismo espacial por ter feito um voo apenas 2 meses antes, escreveu: “Parabéns a Elon Musk e a tripulação SpaceX Inspiration4 por alcançar a órbita, outro grande momento para a exploração espacial”.
Confira os melhores momentos da decolagem da SpaceX
Isso porque, apesar de ser o primeiro, o voo de Branson, feito em um misto de avião com foguete, não chegou à órbita da Terra, sendo chamado de suborbital. O mesmo aconteceu com Jeff Bezos, em agosto, a bordo da nave da sua empresa Blue Origin.
Se não foi o pioneiro, Bezos marcou por sua tripulação ser a primeira sem astronautas profissionais. E também por ter a pessoa mais jovem e a mais velha a irem ao espaço.
Mas cabe à empresa de Musk o feito do voo mais longo com civis, que foi além da distância do telescópio Hubble e da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), alcançando velocidade 22 vezes maior que a do som, enquanto os demais não passaram nem uma hora nos voos suborbitais.
Voo orbital X suborbital: entenda as diferenças
É preciso ainda vencer o último desafio, da volta com sucesso.
Famoso por suas polêmicas, o dono da SpaceX e da fabricante de carros elétricos Tesla não deu muitas declarações sobre a missão até agora, passando a maior parte do tempo retuitando posts do perfil da missão.
Tripulantes de voo orbital da SpaceX fazem live direto do espaço
Musk se disse honrado por ter desejado boa viagem à tripulação, no local da decolagem; na quinta (16), informou ter falado com a equipe no e que tudo corria bem. E, nesta sexta (17), se “desculpou” porque o time estava comendo pizza fria no espaço.
“Sinto muito que estava fria. Na próxima, a (cápsula) Dragon terá aquecedor de comida e wi-fi grátis”, brincou o empresário.
Initial plugin text
Saiba mais sobre a Inspiration4 em vídeos e infográficos:
Saiba mais sobre a missão Inspiration4, viabilizada pela SpaceX
Wagner Magalhães/G1
Veja o que crianças perguntaram aos tripulantes de voo da SpaceX
Tripulante da missão da SpaceX descreve vista da cúpula da nave
Voo orbital da SpaceX: domo oferece visão 360° do espaço
SpaceX: 10 pontos sobre a companhia e seu polêmico fundador, Elon Musk
Entenda a diferença entre voo orbital e voo suborbital
G1
Conheça os detalhes da nave da SpaceX
Kayan Albertin/Arte G1
Diferenças entre as aeronaves da SpaceX, Blue Origin e Virgin Galactic
Kayan Albertin/Arte G1
Initial plugin text